Institucional

Para Além da Academia | Episódio 1: Bolsas de estudo

Quando se ingressa na vida acadêmica um universo de novas possibilidades surge, com os grupos de pesquisa, congressos e as bolsas de estudos. Elas estão disponíveis em diversas áreas do conhecimento e podem ser oferecidas por órgãos governamentais, instituições de ensino ou organizações privadas.   

Horrara Moreira, aluna do Mestrado em Direito da Regulação da Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV Direito Rio) e Pedro Maia, ex-aluno do Doutorado em Economia da EPGE Escola Brasileira de Economia e Finanças (FGV EPGE) participaram da Série “Para Além da Academia” no FGV Notícias e falaram sobre as oportunidades e funcionamento das bolsas de estudos.

Veja abaixo a entrevista completa:  

Quais bolsas a FGV oferece?

Horrara: Além da isenção da mensalidade, eu também tenho uma bolsa CAPES que eu posso acumular com o meu trabalho e foi essencial para eu considerar o Programa de Pós-Graduação em Direito da Regulação.

Pedro: Para mestrado e doutorado acadêmicos temos bolsas financiadas pelo governo, como o caso do CNPq e da CAPES. Para o Rio de Janeiro, existe a bolsa FAPERJ. As duas primeiras, no caso, você recebe no momento do ingresso no curso. Todos os alunos de mestrado acadêmico e doutorado acadêmico na FGVEPGE são bolsistas e recebem uma das duas bolsas. Uma bolsa de mérito acadêmico tem uma restrição de áreas em que você pode trabalhar. Então, por exemplo, você pode atuar dando aula ou exercendo algum tipo de atividade acadêmica. Mas você não pode trabalhar, por exemplo, num escritório ou alguma coisa do tipo. 

Como funcionam as bolsas de estudo?  

Horrara: No processo seletivo, o edital estabelece as regras dais quais você tem que apresentar a documentação e fazer a sua solicitação. A partir daí há um comitê de avaliação do seu pedido e depois no resultado você recebe quais são as condições para manutenção da sua bolsa. Acho que vale a pena ficar atento ao edital para o curso que você está se candidatando. 

Pedro: O processo seletivo para bolsas de mestrado e doutorado é completamente imediato. Todos os alunos que ingressam na pós-graduação acadêmica, pelo menos da FGV EPGE, possuem algum tipo de auxílio financeiro. Nesse caso são possíveis por meio das agências que mencionei CNPq, CAPES ou eventualmente a FAPERJ. Essa é a única que muda um pouco, porque demanda um tempo para poder separar os alunos, já que é uma bolsa de mérito.  

O que muda nas bolsas de estudos, de Escola para Escola? 

Horrara: Na FGV Direito Rio temos a bolsa CAPES, além da isenção da mensalidade.  

Pedro: Na FGV EPGE temos todas as bolsas sendo ofertadas no momento de ingresso no curso, a não ser pela FAPERJ, que é uma bolsa mérito, determinada depois. Fora isso, as outras duas modalidades que consigo imaginar são as bolsas para assistente de pesquisa, ou para trabalhar em algum outro tipo de projeto acadêmico que é oferecido pela instituição. 

Essa matéria faz parte da série Para Além da Academia, e você pode assistir a entrevista com os alunos:

Para Além da Academia l Quais são as bolsas de estudo para mestrado e doutorado (youtube.com)

para_alem_da_academia

Saiba mais sobre o mestrado em Direito da Regulação da Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV Direito Rio) aqui

Saiba mais sobre o doutorado em economia da Escola de Brasileira de Economia e Finanças (FGV EPGE) aqui

Para saber mais sobre os Programas de Mestrado e Doutorado da FGV, no site.

 

Cadastre-se para receber nossa newsletter